1º lugar - Acadêmica - Regina Célia Pinheiro da Silva    

          

De um lugar da cidade, num dia especial, ontem à tarde.                                               

Minha querida:

            Pois é... Eu sei que nos dias de hoje já não se usa mais essa forma de comunicação. Tudo é on-line, feito através de e-mails, WhatsApp etc. Mas não através de uma carta, especialmente, uma carta de amor.

            Sei disso. Mas também não consigo usar o telefone para falar com você. Falta coragem. Numa carta é mais fácil. Escrevo o que sinto, o que penso, o que quero, sem preocupação de imediatamente ouvir uma resposta que, se por um lado é ansiosamente desejada, por outro, é temida.

            Cada vez que penso em dizer “te amo”, tenho aquelas reações ditas “normais”, porque atingem e são comuns a todos: meu coração se acelera, um calor cresce em meu peito e inunda tudo, minha face enrubesce. Por isso, não consigo me aproximar, emitir palavras e articulá-las para falar com você. Sou capaz até de gaguejar, problema que não me atinge.

            Num mundo em que cada vez mais cada um pensa em si mesmo, em que as redes sociais dominam as relações e diminuem o contato pessoal, me utilizo dessa carta como uma maneira de chegar até você de uma forma cuidadosa e protegida, mas acredite: verdadeira.

            E assim é que, depois dessas reflexões iniciais, quase “enrolações para ganhar tempo”, quero dizer que você me é muito importante e especial. Meu amor quer, precisa revelar-se, ainda que não seja correspondido.

Há muito que só penso em você. Algumas vezes, chego a não dormir direito. Em outras, sonho com nós dois juntos e lanço estrelas no ar, numa esperança de alcançá-las. Sou romântico, mas corro o risco de viver nas nuvens, numa indecisão que não me leva a nada.

            Assim, resolvi revelar-me, correndo o risco dessa ação. Mesmo que você diga que não me quer, vou preservar o que sinto, porque meu afeto por você já está gravado em meu coração, em meu sentir, e não mais posso tirá-lo. E para isso eu vivo: para viver esse amor. Vou preservá-lo, ainda que sofrendo se não puder concretizá-lo.

            Qual o seu sentimento por mim? Agora que você já sabe o que sinto, podemos nos encontrar para conversarmos?

            Com todo o meu amor e cheio de esperança, aguardo sua resposta.

            Um grande e afetuoso abraço,

 

2º lugar - Acadêmica Angelica Maria Villela Rebello Santos

 

Carta de amor

 

  De um país muito distante...

 

                   Querido X

 

Somente hoje consegui escrever esta carta, depois de tanto tempo de nossa separação. Como você sempre dizia – e tinha razão - eu nunca estava disponível para mais nada, a não ser meus treinamentos para as Olimpíadas. Só elas eram importantes para mim. As medalhas de ouro eram o único atrativo em minha vida. E você foi ficando em segundo plano. Tudo o que você sonhou, jamais aconteceu.

Assim, despojado de sonhos e de esperanças, não havia outro caminho a seguir, a não ser o seu afastamento.

O tempo foi passando, eu envolvida em minhas conquistas de medalhas, até o dia em que me contaram de sua tristeza, da decepção que eu fora para você.

Visitando uma colega de Jogos Olímpicos, constatei a felicidade que ela vivia em companhia do marido e dos dois filhos ainda pequenos. Não abandonara as competições e formara uma família feliz, muito unida.

Com inteligência, bom senso, muita garra e, sobretudo, muito amor, ela venceu o egoísmo que também já estava se instalando em sua vida, visando a mantê-la – como aconteceu comigo – prisioneira a um valor que expulsava de seu coração  um outro muito mais abrangente, mais sábio, mais comprometido com a plenitude de uma vida que poderia ser repartida, compartilhada com alguém que a amava e que poderia vir a sofrer com uma separação.

Atingida em meus sentimentos, pude ver claramente que eu também poderia ser uma vencedora e ganhar a medalha de ouro nadando na raia do amor, da compreensão, da acolhida, do bom senso.

E hoje daqui deste país tão distante do nosso, escrevo para dizer-lhe que o amo muito e que, se você ainda me amar, nada neste mundo poderá nos separar jamais.

Perdoe-me por todo o sofrimento que lhe causei e receba em sua vida uma nova mulher.

 

                                                        Beijos da sua para sempre,

                                                                                                                       Arrependida

 

 

3º lugar - Acadêmica Ana amaria Favali de Camargo

 

Carta de amor

 

 Meu Deus

 

Preciso vos falar de amor, desse amor que transborda passo a passo, à medida que sigo minha estrada, nesta rota que se chama vida.

Questiono se será possível escrever esta carta, quando vejo morrerem inocentes, furacões devastadores, guerras nucleares e ameaçados os valores mais nobres das pessoas, na busca de conquistas materiais ilusórias.

Vejo que não há trabalho para todos, nem a possibilidade de vida com dignidade.

Sim, preciso não enxergar esse alarme gritante dos fatos, para ver mais além.

Sim, preciso acreditar que um mundo melhor virá, que os sonhos voltarão a existir.

A busca pela felicidade é incessante e do sentido das nossas vidas também.

No entanto, sei que é o vosso poder e o vosso amor que me movem, e me cobrem de esperança para não desistir.

Sei que sempre haverá um sol brilhando, no horizonte, a cada dia, norteando os passos da humanidade.

Sempre haverá o brilho do luar e um punhado de estrelas iluminando a escuridão.

Haverá o Caminho a nossa frente, e à medida que caminharmos, estará em toda parte a perfeição da vossa obra.

Rios de água pura, matas verdejantes e pássaros voando livres.

Chuva acariciando a terra, fazendo brotar as flores em vossos campos infinitos.

Montanhas parecendo veludo, onde silenciosamente o gado caminha satisfeito.

Quando contemplo o sol, as cachoeiras e o mar,percebo como é gigantesca a vossa obra.

E os homens? Tantas pessoas simples de alma pura vêm com Missão nobre ensinar sobre viver.

Benditos avatares sem conta. Espalhados pelo mundo como crianças, adultos e idosos, cada um a seu tempo, sem nunca julgar, sem condenar, sem necessidade de perdoar, como Jesus, apenas ensinando sobre o Amor.

Então, percebo como é fácil falar sobre a alegria, porque ela está embutida no amor.

E se agiganta dentro de mim a certeza de que todo o mal se dissipará e, então, todos saberemos que terá valido a pena, esta fantástica aventura de viver e aprender, tecer sonhos e esperanças.

Então, é assim, plena de uma infinita sensação de felicidade, que olho para a Estrada e vejo a vossa Luz, percebo a vossa Presença e a vossa Sabedoria.

E sei que vossa obra é perfeita.

Descubro que tudo é feito de Amor, em uma gigantesca sinfonia de vir a ser.

Sim, vir a ser Luz e perfeição.

E o sentimento que sufoca minha garganta, agora, é de uma infinita Gratidão, pela oportunidade de ser e existir, nesta fantástica escola que chamamos vida.

E assim, a cada passo, quero vos falar do meu amor, por vos e por tudo que existe, à medida que colho e distribuo os frutos que semeio.

O mais é o silêncio da prece. Acalma-se a mente. E podemos vos ouvir nos falando de Amor

Minha gratidão. Minha Fé. Meu respeito pela vossa obra. Meu Amor.

Amém!