Maria Marlene Nascimento Teixeira Pinto - Membro Titular

Maria Marlene Nascimento Teixeira Pinto - Membro Titular

Academia Taubateana de Letras

 

Academia, tu és conclamada,

um templo do saber e da cultura.

Com dignidade, erigida, és lembrada,

pelos amantes da literatura.

 

Egrégios Acadêmicos saúdam

os teus Patronos imortalizados.

Quarenta cátedras os representam...

Os seus feitos, com gáudio, relembrados!

 

Academia, conta a tua história,

em estrofes imbuídas de luz,

espargindo, em versos, tua vitória.

Vale-te da honra de que fazes jus!

 

Sob teu cunho, inefável, altaneira,

desfraldas, garrida, a tua bandeira.

És um orgulho da nossa cidade!

Tributo legado à prosperidade!  

  Autora - Maria Marlene Nascimento Teixeira Pinto

_________________________

Poesia - Acadêmico Aldo

 

 

Aldo, onde você estiver,

lembre-se de todos nós,

pois somos partes de você,

nosso mentor,nosso líder acadêmico...

 

Ouço, ainda, a sua voz firme ecoando,

na saudade que se fez no vazio do silêncio,

que dizia sempre ao nos encontrarmos:

— Minha eterna PRESIDENTA!

 

Você esteve entre nós, ora sério, ora brincalhão,

fazendo observações e piadas sobre tudo,

mas, no final, a sua opinião prevalecia.

Colega e amigo de todas as horas,

que se doou de corpo e alma,

para que a nossa ATL se tornasse realidade!

 

Nossas tardes que eram agradáveis com sua presença,

nunca mais serão as mesmas.

Você é a razão de estarmos aqui.

Nós nos  orgulhamos muito de você, Aldo,

pois é e sempre será o nosso número 1!

 

Pode ter a certeza que honraremos o seu nome,

levando adiante este templo de Letras

a novos patamares da cultura,

para que suas obras e seus exemplos

estejam presentes nas gerações futuras!

Adeus, meu bom e eterno amigo.

Muita luz no seu caminho!

Descanse em paz!

 

                            Autora - Maria Marlene Nascimento Teixeira Pinto

_______________

 

Poema - O mundo mudou! (2020)

 

O mundo parou! Meu Deus!

Acordamos num mundo diferente... Humanizado?

Estamos vulneráveis, à mercê de um vírus mortal!

O que aconteceu? Por que estamos nos isolando?

De quem é a culpa?

Perguntas desnecessárias, sem resposta...

Só nos resta refletir, aprender com a situação, absorver a lição.

É um vírus que discrimina, marginaliza, aterroriza!

Olho em volta. Nada se move. Tudo mudou!

Estagnação!

Sem direito de ir e de vir, para nos salvar, para salvar a todos...

Hora de desligar o piloto automático, neste mundo robotizado.

Hora de nos sentir gente, cuidar de gente,

ir em busca de nossa gente!

Volta ao lar!

Volta à família.

Volta aos filhos.

Volta a nós mesmos!

Volta à verdadeira realidade,

sabendo que somos parte de um todo,

e o todo é parte de nós,

pois somos filhos gerados pelo mesmo Pai.

Hora de ajudar, respeitar, seguir regras,

para sobrevivermos ao caos que se formou,

pela nossa omissão, pelo nosso egoísmo,

pela ânsia ao poder, pela ambição.

Sim, precisamos nos reeducar, pensar no outrem,

com empatia, com ética, com sabedoria.

Para que guerrear? Para que nos matar?

Para que alimentar a ganância dos que se julgam donos do mundo?  

Deixemos o egocentrismo e o materialismo de lado!

Sejamos responsáveis, altruístas,

mesmo isolados fisicamente,

mas com um só pensamento...

Vamos salvar o mundo,

salvando a nós mesmos,

para um novo porvir,

para um novo despertar!

Que a Paz e o amor prevaleçam...

Sairemos desta... Acreditem!

Tenho fé!

_________________________

Aldravias

 

estrelas

cintilam

na

noite

vazia

solidão

 

estou

aqui

onde

não

cabe

você

 

fora

barulho

do

silêncio

vazio

 

 

aldravia

no

universo

síntese

do

poema

 

ondas

em

milícias

descansam

na

praia

 

tão

pouco

dura

um

amor

eterno

 

 

Autora - Maria Marlene Nascimento Teixeira Pinto