Patrono - Cadeira nº 35 -  Maria Augusta Leonardo

 

Maria Augusta Leonardo nasceu em 25 de maio de 1879. Filha do farmacêutico alemão Carl Adolph Leonhardt e de Maria Francisca da Trindade.

Em Taubaté, no Largo do Mercado, seu pai fundou a Botica Alemã, primeira farmácia da cidade. Mais tarde, o nome foi trocado para Pharmácia Leonardo.

Maria Augusta estudou música e piano. Tornou-se regente do órgão da Catedral de São Francisco das Chagas, exercendo essa função até o final da sua vida. Na catedral, organizou a Scholla Cantorum, onde ministrava aulas de canto às cantoras do coro.

Grande poetisa e católica fervorosa, compôs poemas e versos, a maioria de cunho religioso. Escrevia com o pseudônimo de "Estrela D'Alva". Teve suas poesias publicadas em diversos jornais do Vale do Paraíba, entre eles, o "Lábaro", jornal da diocese de Taubaté, e no jornal "Catolicismo", de Aparecida.

Ela sonhava em publicar um livro, com o título de "Turíbulo", contendo cem dos seus belos sonetos. A família, em sua memória, publicou o livro que foi lançado e oferecido aos presentes na solenidade de exaltação da Academia Taubateana de Letras.

Existe uma versão de que a Rua Augusta, tão famosa em S. Paulo, leva este nome em sua homenagem por um compadre de seu pai que tinha comércio na área.

Maria Augusta faleceu em 25 de junho de 1959, deixando um legado de fé, arte e fraternidade.

O evento da academia ficou marcado pela apresentação do cantor e compositor baiano Nando Luz, que musicou "Disco Voador", uma das poesias do livro "Turíbulo", de Maria Augusta.

O artista, que desenvolve um trabalho autêntico e contemporâneo, fez trilhas sonoras para o teatro e espetáculos infantis. Já dividiu o palco com importantes músicos, como: Nando Reis, Flávio Venturini, Toni Garrido, Vânia Bastos, Léo Borges e outros. Diz ter se sentido honrado em homenagear, com sua música, essa grande mulher taubateana.

Referências: Orelha do livro Turíbulo - de Maria Augusta Leonardo.