Patrono: Paulo Camilher Florençano.  

Regina Célia Pinheiro da Silva, casada, três filhos, três netos, mais um a caminho e outras duas “netas do coração”, nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em seis de novembro de 1949, filha de Zilda Tavares Pinheiro e Remy Prates Pinheiro.

Desde que aprendeu a ler, desenvolveu o gosto pela leitura. Seu pai, desenhista e poeta, a presenteava com os livros de Monteiro Lobato. Posteriormente, outros autores foram sendo incorporados através dos seus olhos vorazes por conhecer histórias.

No Rio de Janeiro, cursou a “Escola Normal”, formando-se professora e lecionando no 1º grau, de 1970 a 1975. Ingressou na Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, graduando-se em 1974. Pouco depois de formada foi morar na cidade de Ceres, interior de Goiás, de 1975 a 1978, onde com uma equipe interdisciplinar, desenvolveu uma experiência de saúde pública ligada a Diocese de Goiás Velho, que mantinha na cidade o Hospital São Pio X e queria que os atendimentos prestados à população tivessem maior comprometimento humano-social.

Ao chegar a Taubaté, em 1978, deslumbrou-se por estar na terra de Monteiro Lobato. Trabalhou como assistente social voluntária no Serviço Social do Juizado de Menores da Comarca de Taubaté, S.P., que hoje se intitula Vara da Infância e da Juventude, de outubro de 1978 a julho de1980.

Em 1986, especializou-se em Saúde Pública, pela UNITAU e em Psicodrama Pedagógico na Oficina de Psicodrama Pedagógico, em São Paulo. Em 1994 concluiu a formação em Psicodrama pela Associação de Psicodrama e Sociodrama Revolução Creadora, de São Paulo. O Mestrado em Educação foi concluído pela Faculdade de Educação da UNICAMP, em 2004, com a dissertação: Pesquisas sobre formação de professores / educadores para abordagem da educação sexual na escola.

Foi assistente social da Secretaria de Estado da Saúde do Estado de São Paulo a partir de dezembro de 1980, ingressando no Ambulatório Regional de Saúde Mental do Vale do Paraíba e Litoral Norte, em São José dos Campos, São Paulo. Em setembro de 1982, foi transferida para o Ambulatório Regional de Especialidades "Dr. René Rachou" de Taubaté, onde permaneceu até março de 1999, quando da sua aposentadoria. Além de diversas atividades nos vários programas que a unidade desenvolvia, colaborou na organização e participou do Conselho de Saúde da Comunidade e do Grupo de Apoio à Prevenção a AIDS (GAPA), de Taubaté, além de ter sido membro da diretoria do Conselho Municipal de Entorpecentes da Prefeitura Municipal de Taubaté, de outubro de 1989 a dezembro de 1992.

Relacionado ao Programa de DST/AIDS do Centro de Saúde desenvolveu, junto com uma equipe interdisciplinar, trabalho com professores do ensino fundamental e do ensino médio da rede estadual de ensino no projeto: “Saúde e Vida: Uma Questão de Educação”, que abrangia “Noções de Sexualidade Humana” (realizado de 1985 a 1995) e “Prevenção ao Uso Indevido de Drogas” (de julho de 1987 a 1995).

Em 1990, passou a integrar a Universidade de Taubaté (UNITAU), no Departamento de Serviço Social, sendo aprovada em concurso público no cargo de Professor Assistente em 1998. Classificada como Professor Assistente III a partir de 2004 lecionou e exerceu vários cargos e funções até sua aposentadoria, em maio de 2012. Tem vários trabalhos acadêmicos apresentados em Congressos e pesquisas publicadas em revistas científicas.

Foi supervisora do "Projeto Piloto Alto São João" da EMEF Profa Luzia de Castro Mittidieri, da Secretaria de Educação da Prefeitura Municipal de Guaratinguetá, que acompanhava alunos com dificuldades de aprendizagem e/ou comportamento, de março de 1997 a novembro de 2001.

É supervisora do “Projeto Piloto de Capacitação Profissional ou Semi-Profissional” no Programa de Hanseníase da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, além de assessora do Grupo Assessor de Ações Sociais do mesmo Programa, de junho de 2001 até 2010.

Desde 2011, ministra aulas no curso de pós-graduação, em nível de especialização: Políticas Sociais e Trabalho Social com Famílias, do Departamento de Serviço Social da UNITAU, nas disciplinas que abordam as políticas setoriais de saúde e educação.

Tanto como professora quanto como assistente social, o processo educativo com suas implicações sócio-políticas e histórico-culturais sempre permearam suas ações, seja na área da saúde ou na da educação. Trabalhar numa dimensão educativa foi sempre um compromisso pessoal e profissional.

A expressão poética surgiu na adolescência, mas só vários anos mais tarde publicou seus livros de poesia: Com amor e amigos, em 1999 e Porque o que conta... é a vida, em 2013.