Patrono: Monsenhor Antonio Nascimento Castro

 

SERGIO ADRIANO GONÇALVES GEIA, filho de Luiz Carlos Geia e Vânia Mara Gonçalves Geia, nasceu em Taubaté – SP, em 05 de março de 1969.

Cursou o Ensino Fundamental e Médio, na Escola Municipal de Primeiro e Segundo Graus Professor José Ezequiel de Souza, em Taubaté, formando-se em 1986.

Nesse ano, após se formar, prestou vestibular na Universidade de Taubaté, para o curso de Ciências Jurídicas e Sociais, tendo obtido a oitava colocação.

Em 1987, iniciou seus estudos jurídicos na Universidade de Taubaté.

Ainda no ano de 1987, foi aprovado em Concurso Público, na Prefeitura Municipal de Taubaté, tendo exercido diversas funções tais como: Escriturário, Assistente Administrativo, Assistente Técnico, Membro da Comissão Permanente de Licitações, Agente Fiscal de Rendas, Chefe da Divisão de Inspetoria Fiscal e Gerente da Área da Receita.

Em 1992,  formou-se Bacharel em Direito, pela Universidade de Taubaté.

Em 1995, casou-se com Cristine Mara dos Santos, com quem têm dois filhos: João Victor Santos Geia e Chiara Christina Santos Geia.

Em 2004, foi aprovado em quinto lugar no concurso de Analista Judiciário, do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Quinta Região.

Em 2005, em razão de aprovação em concurso público, exonerou-se da Prefeitura Municipal de Taubaté, assumindo a função de Analista Judiciário na Segunda Vara do Trabalho de Taubaté – Tribunal Regional do Trabalho da Décima Quinta Região.

No Tribunal, exerceu diversas funções, dentre elas, Assistente de Diretor, Assistente de Juiz e Diretor Substituto.

Em 2008, obteve o título de pós-graduação em Direito do Trabalho e Processual do Trabalho pela Universidade de Taubaté.

Em agosto de 2011, assumiu a Direção da Vara do Trabalho de Caçapava, cargo que exerce até os dias atuais.

O gosto pela literatura foi despertado desde cedo, em leituras de livros e histórias infantis, como a obra de Monteiro Lobato e a coleção “Para Gostar de Ler”, uma seleção de crônicas de Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos, Carlos Drummond de Andrade e Rubem Braga.

Mais tarde, apaixonou-se pelas obras de Machado de Assis e Érico Veríssimo, e pelas obras dos estrangeiros J. M. Coetzee, prêmio Nobel de Literatura, em 2003, e Philip Roth, ganhador do Prêmio Pulitzer 1997, por seu romance Pastoral Americana, e ganhador da Medalha de Ouro de Ficção, a mais elevada premiação concedida pela Academia Americana de Artes e Letras.

Em maio de 2012, passou a publicar suas crônicas, em blog de sua autoria, no endereço http://sergiogeia.blogspot.com.br.

Em fevereiro de 2013, passou a colaborar com site “Texton”, no endereço www.texton.com.br., publicando suas crônicas semanalmente.

Em março de 2013, passou a colaborar com o site “Recanto das Letras”, no endereço www.recantodasletras.com.br, publicando suas crônicas semanalmente.

Em abril de 2013, passou a assinar uma coluna de crônicas, no jornal Matéria-Prima, de Taubaté, publicando semanalmente.

Em dezembro de 2013, obteve a quinta colocação no Concurso de Crônicas da Afpesp – Associação dos Servidores Públicos do Estado de São Paulo, com a crônica “O Símbolo Perdido”, que integra o livro editado pelo organizador do concurso, com a seleção das melhores crônicas.

Em abril de 2014, publicou seu primeiro romance intitulado “Confidências de um sacerdote”, pela Cabral Editora e Livraria Universitária.

Em junho de 2014, passou a colaborar com o site “Crônica do Dia”, no endereço www.cronicadodia.com.br, publicando suas crônicas quinzenalmente.

Em julho de 2014, passou a colaborar com o “Jornal de Caruaru”, de Caruaru – PE.

Em outubro de 2016, passou a colaborar com o jornal “Gazeta”, de Taubaté, publicando suas crônicas mensalmente.

Atualmente, Sergio Adriano Gonçalves Geia é Diretor da Vara do Trabalho de Caçapava – vinculado ao Tribunal Regional do Trabalho da Décima Quinta Região. Publica suas crônicas no Crônica do Dia, no Jornal de Caruaru e no Jornal Gazeta.

Seu gênero literário preferido é a crônica. Acompanha as obras dos cronistas contemporâneos Mario Prata, Antônio Prata, Tati Bernardi, João Ximenes Braga, Ruy Castro, Luís Fernando Veríssimo, Antonio Cescatto e os clássicos do gênero como o mestre e maior de todos, Rubem Braga.

De sua obra, destaca a crônica “Pau de Ferro”, uma oração pela morte de um grande amigo:

Em 02 de junho de 2017, tomou posse como Membro Titular, da Academia Taubateana de Letras,  ATL, ocupando a Cadeira nº 16, Patrono: Monsenhor Antonio Nascimento Castro.